Negligencie o processo e colha o fracasso

IMG 8631

Negligencie o processo e colha o fracasso

Resultados, resultados, resultados! Não importa o contexto, todos (ou quase) queremos resultados.

Você segue uma prescrição alimentar e exercícios físicos, esperando um resultado.

Você adia a conversa com seu chefe, esperando um resultado.

Você cumpre à risca tudo o que seu companheiro(a) pediu, esperando um resultado.

Você altera prioridades e corta custos, esperando um resultado.

Você faz, faz e faz… esperando resultados! Resultados positivos, claro!

Neste mundo cada vez mais pragmático em que vivemos, estamos habituados a olhar para os resultados mas muitas vezes nos esquecemos do processo, do árduo caminho percorrido (no geral) antes que eles, os resultados, sejam alcançados.

A cobrança por resultados pode ser (e infelizmente tem sido em muitos casos) muito cruel. Isto porque como o foco recai sobre os eles (e nada mais parece importar), tem-se negligenciado que resultados não ocorrem do dia pra noite, não aparecem num piscar de olhos, não são frutos de varinhas mágicas.

Assim, com o foco no resultado apenas, perde-se a noção do todo; do tempo; dos passos; das etapas.

As pessoas se esquecem que é fazendo o processo de forma gradual e bem feita que aumentarão as chances de atingirem os resultados desejados; se esquecem que constância e regularidade são essenciais antes, durante e depois dos resultados; se esquecem que no meio do caminho serão surpreendidas por obstáculos e algumas vezes cairão; se esquecem que mais do que nunca, após caírem, o melhor a ser feito é retomar a constância e a regularidade; se esquecem que o melhor pedido de desculpas (a si mesmo e aos outros) é se engajar em ações que minimizem as chances de cometerem o mesmo deslize; se esquecem que avançar etapas sem estar preparado para elas tem grandes chances de fazer com que tenham que voltar algumas casas neste processo!

Se, para tudo na vida, existe um início, um meio e um fim; e se os resultados estão basicamente associados à etapa final, por que então pular o início e o meio?

Qual sentido você vê em chegar ao fim sem gozar do início e do meio?

Tudo bem que às vezes parece que o fim não vai chegar nunca e a sensação é que o processo está demorado demais… Mas você já experimentou tirar um pouco o foco do resultado final e identificar em que ponto do processo você está agora? Observar as conquistas obtidas até aqui? Os aprendizados ocorridos com as quedas e retrocessos? Já experimentou vibrar e ser grato com a sua evolução até o presente momento?

Sempre gostei de uma frase que aprendi com um professora durante a faculdade, e que é muito usada nas conversas cotidianas: “- Se ainda não acabou, é porque ainda não chegou ao final”! Ou seja, trazendo aqui para nossa discussão, se o resultado ainda não foi alcançado é porque existem passos e etapas importantes de serem dados e consolidados.

Lembre-se: o ano de 2016 está só começando…

E então, que tal olhar para o processos e deixar que os resultados sejam, meramente, consequências naturais a serem alcançadas no momento certo?

Grande abraço e vamos juntos!

Ghoeber Morales

Deixe uma Resposta